Segurança

Parando no meio do rappel

Ocasionalmente pode ser necessário parar a meio caminho para desembaraçar a corda ou soltá-la de algum lugar, tirar uma foto etc... Dê trez ou quatro voltas de corda ao redor da perna, geralmente dão atrito suficiente para segurá-lo. A série de figuras abaixo mostra como unir duas cordas no meio da descida, e continuar rappel abaixo.

Depois de unidas as cordas, verifique que ficou um olhal aonde voçe irá colocar seu auto-seguro, (pequena fita presa a sua cadeirinha e com um mosquetão). Importante - nunca deixe o comprimento de seu auto-seguro ultrapassar o comprimento de seu braço, veja a quarta fig abaixo da esquerda para a direita. Todas as imagens desta página devem serem observadas cuidadosamente uma a uma, e praticadas a um metro do chão insistentemente, até que esta técnica esteje totalmente dominada. Com todo o cuidado usamos de algumas fotos de alguns livros, e ampliamos ao máximo com o macro para que observem bem os detalhes em boa definição, mas deverão ter o aconpanhamento de um instrutor especializado para verificar todas as recomendações desta apostila pessoalmente.
Outros detalhes importantes



Em descidas longas em que é executada uma série de rappeis, o primeiro a descer deve já sair carregando fitas e artefatos suficientes e tendo descido, deve ancorar-se antes sequer de liberar a corda para que os outros o sigam. Enquanto estes começam a descer, ele já instala a corda seguinte. Sempre lembramos que o primeiro a rappelar, deverá levar consigo ao menos duas cordinhas para prusik, para poder voltar para cima caso haja necessidade. O primeiro deve já ir desembaraçando as cordas ao descer, e aquele que o segue deve procurar mante-las assim. Antes de descer o último homem, deve-se puxar uma das pontas, o suficiente para certificar-se de que a corda desliza com facilidade. O último deve certificar-se de que o nó entre as duas cordas está livre de obstáculos ou mesmo da borda da parede. Enquanto desce, ele mantém um dedo ou um mosquetão entre as duas cordas, para remover quaisquer torções, e procura sacar a corda de lugares onde ela possa se entalar. Ao chegar ao pé do rappel, deve lembrar-se de desamarrar os dois nós de segurança nas pontas das cordas, antes de começar a puxá-la. Se duas cordas foram usadas, ele tem que saber qual delas puxar, para não entalar o nó que as une, no ponto de ancoragem. Se tais cuidados foram tomados, não há porque não sacar a corda com facilidade. Um puxão direto, pode não fazer a corda mover-se, mas puxando-a um pouco para o lado altera o ângulo suficiente para faze-la começar a deslizar. Então é só questão de puxá-la lenta e suavemente, sem trancos ou paradas que a façam chicotear ou enrolar-se em alguma coisa. E então a corda enfim se livra do seu ponto de ancoragem, cuide de não receber a corda NA SUA CABEÇA, o impacto da sua ponta – as vezes é uma pancada respeitável.

Resumo

A técnica de rappel é muito enganadora: parece fácil, mais já levou muitos participantes a situações problemáticas. A maioria dos muitos acidentes que ocorre com rappeis pode ser atribuida a descuido, ou puro êrro de cálculo. As sugestões seguintes são oferecidas para garantir que seu próximo rappel não acabe sendo o seu último.

1 Use fitas novas na ancoragem do seu rappel.
2 Use duas ancoragens, ou até mais se for preciso.
3 Teste solidamente as ancoragens, antes de rappelar.
4 Se estiver usando uma mochila pesada, rappele numa posição mais vertical do que normalmente, para evitar virar de cabeça para baixo. Esta é uma possibilidade muito real quando ultrapassando o queixo de um negativo. Em último caso, enrole a corda à perna, e jogue fora a mochila se estiver perdendo o seu contrôle.
5 Prenda todas as pontas de roupa, cabêlo ,ou equipamento, para evitar que se embaracem no seu aparelho.
6 Como qualquer outro lance de escalada, dê segurança a qualquer um que o peça obrigatóriamente a todos os principiantes.
7 Verifique e reverifique todas as partes do seu sistema de rappel, antes de começar a descer.
8 Desça suavemente – sem pulos ou paradas bruscas.
9 Se apesar das precauções alguma coisa se embaraçe ou trave no seu aparelho, fique calmo e solte-a com cuidado. Tenha sempre uma laçada de prusik pronta. Pode ser necessário apelar para um estribo passado a um prusik colocado na corda acima do seu aparelho, para evitar a tensão (na corda), e remover o problema.
10 Antes de descer o último homem, teste para certificar-se de que a corda pode ser retirada.
11 Ao pé do rappel, mova-se para o lado, colocando-se fora da área de impacto de quaisquer coisas que possam estar sendo atiradas para baixo, pelo seguinte a descer.



Algumas dicas sobre segurança

Como se ajustar uma cadeirinha corretamente

Primeiro ponto básico é na visualização da mesma, observando bem devagar para não deixar fitas torcidas na cintura ou nas pernas. A alça principal deve se posicionar na frente da cintura, e cuidado também para não coloca-la do avesso. Feito isso, aperta-se bem a cintura e por último as pernas. Verifique se a fita que envolve toda a cintura ficou bem em cima do quadril e sem folga. Por fim observe muito bem se as fivelas estão presas, os fechos das mesmas explicam que tem que passar pelo fecho pelo menos duas vezes na ida e na volta. Este detalhe é ponto tão importante que poderá resultar na abertura da mesma, quando a pessoa estiver pendurada nas alturas. Muito Cuidado com isto !!!

Os mosquetões com rosca devem ser usados na cadeirinha do monitor, que vai oferecer a segurança para quem está escalando, e o mesmo deve ser rosqueado até o fim com o máximo de observação e cautela.

Os dois mosquetões automáticos, serão usados para prender a corda na cadeirinha de quem vai escalar. Evita erros do monitor na hora de rosquear o mosquetão, e evita também que o escalador iniciante tente abri-lo quando estiver escalando....parece inacreditável que alguém vai fazer isso, mas um dia já aconteceu comigo em um evento, e por sorte estava usando esse tipo de mosquetão.

Use só o nó oito duplo com duas alças, para conectar o mosquetão automático na cadeirinha do escalador.

Cortando a corda na medida certa.

Quando for cortar a corda, deixe uns 4 a 5 metros a mais, porque ela encurta com o tempo de uso. Antes de cortá-la, enrole o ponto a ser cortado com uma fita silver tape bem apertada, daí corte com um estilete no centro da silver tape, assim a corda não desfiará. As duas metades cortadas devem ser queimadas com um isqueiro até que a corda se derreta e se solde.

Não precisa tirar a silver tape das pontas.

Dando Segurança com o Grigri.

Antes de colocar o grigri no seu mosquetão leia com atenção toas as indicações de manuseio do mesmo, e como passar a corda por dentro do aparelho. Isto tem um lado certo, se porventura fizer errado ele não funciona podendo colocar em risco a pessoa que escala.

1-) Nunca fique de costas para quem está escalando. Seria no mínimo uma falta de respeito.

2-) Verifique tudo de novo antes do escalador começar a subir pela parede, cheque pelo menos duas vezes passo a passo, cadeirinhas, nós, conecção dos mosquetões, se a colocação dos grigris está correta, enfim olhe e observe mais uma vez ,e está tudo em ordem para dar a voz de comando para a pessoa começar a subir.

3-) Nunca deixe a corda frouxa enquanto o escalador está subindo. Jamais deixe isso acontecer. Imediatamente quando o escalador começar a subir a atenção do monitor terá que ser máxima.

Preste atenção – Quando o escalador sobe a corda que está presa na cadeirinha dele vai ficando com folga. Essa folga deve ser retirada imediatamente puxando a outra ponta da corda preferencialmente com a mão esquerda, e fazendo com que ela passe por dentro do grigri com a mão direita. Os olhos fitos no escalador devem estar atentos a qualquer movimento dele, porque nós nunca vamos saber a hora que ele vai se soltar da parede de escalada.

Quando o escalador se soltar e ficar pendurado.

Quando isto acontecer, a corda que passa por dentro do grigri imediatamente vai acionar o mecanismo mecânico do mesmo ficando tudo travado. O escalador vai ficar pendurado solto no ar, e o monitor que faz a segurança, vai sentir-se sendo puxado para cima. É so refletir um pouco mais....Se os dois estão presos pela mesma corda, enquanto uma força quer fazer o escalador descer a outra ponta da corda irá criar tensão contrária fazendo o monitor subir.

Nunca coloque pessoas com mais de 80 kg. para escalar. (Já tive muitos problemas com gordos!) Eles viram de ponta cabeça com facilidade, e a cadeirinha pode escorregar pelas pernas. Isso porque, geralmente, eles não têm cintura definida e, por mais que a gente aperte não dá certo. Fica muito inseguro.

Outrossim que, se a pessoa que estiver escalando pesar 100 kg., e o monitor pesar 50 kg., é provável que, quando o escalador cair o outro poderá subir. Então, é fato termos uma equivalência de pesos entre os dois.

CUIDADO !!!

Antes de puxar a alavanca do equipamento (mão esquerda) para liberar a corda travada pelo grigri, primeiramente a mão direita deve estar bem segura na mesma (Observe bem o manual e as fotos). A alavanca tem que ser puxada bem devagar, e com a corda bem apertada pela mão direita. Conforme você vai liberando a alavanca para baixo, vai sentir a corda presa na mão direita querer escorregar pelos dedos, não abra a mão direita por nada neste mundo...se fizer isso a pessoa que estiver escalando cai deliberadamente. Você a deixa escorrer bem devagar por entre os dedos até que o escalador desça até o chão.

Contudo é extremamente necessário que faça um curso para operar esse equipamento com alguém que tenha experiência.

Nunca o monitor deve deixar o escalador colocar e tirar seu mosquetão. Sempre será o monitor o responsável por esse ato.

Um bom colchão (bem fofo e grosso), faz uma boa diferença embaixo de quem escala. Pode-se evitar um acidente mais grave no caso de um descuido do monitor.

Ancoragem Superior

Deverá ser feita da seguinte forma:

Primeiramente as chapeletas deverão ser presas no topo da parede.

Deverá ser feito um furo de 10 mm. De diâmetro. Para a fixação, esse furo deverá atravessar o madeirite. Juntamente com a barra metálica, a que ele está preso.

Dê preferência aos parafusos e porcas especiais 8.8, com ruelas por detrás da barra.

As chapeletas devem ser colocadas numa distância de 30 cm. uma da outra. Duas para cada pista de subida.

Em cada chapeleta será colocada uma “costura”.

A corda deverá passar pelos mosquetões das duas costuras, formando um V.

Deve-se pedir a orientação de um engenheiro para constatar se a estrutura da parede vai agüentar pelo menos umas duas toneladas por ponto de ancoragem.

Se a parede tem duas pistas de escalada, esse cálculo deve ser aplicado como se as duas pistas estivessem sendo usadas simultaneamente.

Como disse anteriormente.... o uso inadequado com esses equipamentos de segurança poderá causar acidentes e até a morte do escalador. É imprescindível que um curso deverá ser feito por alguém que tenha um bom histórico com alpinismo, e conheça a fundo tudo isso.

Nos isentamos assim de qualquer responsabilidade, quanto ao uso incorreto dos mesmos.

Texto redigido por

Daniel de Jesus Instrutor Técnico.